Segundo triunfo consecutivo para Mexia Leitão no Banco BIC Rally de Portugal Histórico

 

O Banco BIC Rally de Portugal Histórico chegou ao fim esta madrugada com as tradicionais duplas passagens pelos troços da Lagoa Azul/Peninha e Sintra com João Mexia Leitão e Nuno Sales Machado a garantirem a segunda vitória consecutiva na prova do Automóvel Club de Portugal após uma edição dura, mas muito disputada.
Os homens do Porsche 911 (1973) andaram sempre os sete primeiros e começaram a escalada rumo ao topo da classificação logo na segunda Secção para não mais pararem. Depois de uma primeira passagem pela liderança da prova após a 4ª Secção, a dupla portuguesa colocou-se definitivamente no primeiro posto da classificação após a terceira especial de ontem, a 32ª do Banco BIC Rally de Portugal Histórico, para não mais a perderem até ao final e triunfarem com 109,4 segundos de margem sobre o rival mais próximo.
Já com a vitória praticamente garantida após a Especial do Kartódromo dos Milagres, em Leiria, os portugueses mantiveram um ritmo consistente e depois de um modesto 15º lugar no troço Lagoa Azul/Peninha, fecharam a participação no evento do ACP com o terceiro posto na classificativa de Sintra.
Atrás deles ficaram Dominique Holvoet/Bjorn Vanoverschelde. Os belgas do Toyota Cellica GT 1600 (1971) garantiram o segundo posto ainda na parte da manhã da 4ª Etapa e depois de vários resultados entre os cinco primeiros ao longo do dia de ontem, apresentaram uma prestação mais modesta durante a noite, principalmente na Serra de Sintra, mas que não perigou em nada o intermédio do pódio.
No mais baixo do pódio ficou outra dupla nacional no que parece ser uma nova tendência no Banco BIC Rally de Portugal de Histórico, com os pilotos da casa a imporem-se mais na prova depois de alguns anos de domínio gaulês. Paulo Marques e João Martins repetiram o resultado do ano passado ao terminarem no terceiro lugar. Os homens do BMW 1600 (1969) também se mostraram muito fortes no último dia de prova, gerindo muito bem a vantagem que detinham para os adversários para terminarem a 51 segundos dos belgas e com 76,1s de margem sobre o quarto posto de Michel Decremer/Yannick Albert (Opel Ascona, de 1981).
A fechar a lista dos cinco primeiros ficaram Christophe Berteloot e Frederic Cancel (Porsche 911 SC, de 1982), isto depois de terem levado a cabo um final de prova muito forte com um terceiro, um primeiro e um segundo lugar nas últimas três classificativas do Banco BIC Rally de Portugal Histórico.

O Banco BIC Rally de Portugal Histórico chegou ao fim esta madrugada com as tradicionais duplas passagens pelos troços da Lagoa Azul/Peninha e Sintra com João Mexia Leitão e Nuno Sales Machado a garantirem a segunda vitória consecutiva na prova do Automóvel Club de Portugal após uma edição dura, mas muito disputada.

 

Os homens do Porsche 911 (1973) andaram sempre os sete primeiros e começaram a escalada rumo ao topo da classificação logo na segunda Secção para não mais pararem. Depois de uma primeira passagem pela liderança da prova após a 4ª Secção, a dupla portuguesa colocou-se definitivamente no primeiro posto da classificação após a terceira especial de ontem, a 32ª do Banco BIC Rally de Portugal Histórico, para não mais a perderem até ao final e triunfarem com 109,4 segundos de margem sobre o rival mais próximo.

Já com a vitória praticamente garantida após a Especial do Kartódromo dos Milagres, em Leiria, os portugueses mantiveram um ritmo consistente e depois de um modesto 15º lugar no troço Lagoa Azul/Peninha, fecharam a participação no evento do ACP com o terceiro posto na classificativa de Sintra.

Atrás deles ficaram Dominique Holvoet/Bjorn Vanoverschelde. Os belgas do Toyota Cellica GT 1600 (1971) garantiram o segundo posto ainda na parte da manhã da 4ª Etapa e depois de vários resultados entre os cinco primeiros ao longo do dia de ontem, apresentaram uma prestação mais modesta durante a noite, principalmente na Serra de Sintra, mas que não perigou em nada o intermédio do pódio.

No mais baixo do pódio ficou outra dupla nacional no que parece ser uma nova tendência no Banco BIC Rally de Portugal de Histórico, com os pilotos da casa a imporem-se mais na prova depois de alguns anos de domínio gaulês. Paulo Marques e João Martins repetiram o resultado do ano passado ao terminarem no terceiro lugar. Os homens do BMW 1600 (1969) também se mostraram muito fortes no último dia de prova, gerindo muito bem a vantagem que detinham para os adversários para terminarem a 51 segundos dos belgas e com 76,1s de margem sobre o quarto posto de Michel Decremer/Yannick Albert (Opel Ascona, de 1981).

A fechar a lista dos cinco primeiros ficaram Christophe Berteloot e Frederic Cancel (Porsche 911 SC, de 1982), isto depois de terem levado a cabo um final de prova muito forte com um terceiro, um primeiro e um segundo lugar nas últimas três classificativas do Banco BIC Rally de Portugal Histórico.

Consulte aqui os resultados completos da prova.

11 de Out de 2014

 

Bookmark and Share

 

Patrocínios