Deflandre na frente com Mexia a recuperar

Foto: © ACP Motorsport

 

O terceiro dia do Banco BIC Rally de Portugal Histórico levou pilotos e máquinas numa incursão por locais de rara beleza de Espinho a Lamego, passando depois por Amarante antes do regresso a Espinho para o fim da 3ª Etapa.
Depois de problemas ao final do dia de ontem, a dupla João Mexia/Nuno Machado (Porsche 911, de 1973) acabou por perder a liderança da prova do Automóvel Club de Portugal para os belgas Yves Deflandre/Joseph Lambert (Porsche 911, de 1972). Contudo, a formação lusa, vencedora das duas últimas edições da prova, levou a cabo um dia extremamente regular, recuperando terreno de forma consistente para terminar a 10,3 segundos da frente.
Uma recuperação que se fez com base em três vitórias em Especiais por parte da dupla lusa contra duas dos belgas e que deixa bem claro que Mexia está com os olhos bem postos na terceira vitórias consecutiva no Rally, um objectivo que parece estar perfeitamente ao seu alcance.
Enquanto isso, no terceiro lugar surgem agora Daniel Reuter/Robert Vandevorst (Porsche 914, de 1970). A formação belga beneficiou dos problemas de Dirk van Rompuy/Jens Vanverschelde (Opel  Ascona, de 1979) que caíram forte na classificação após a passagem por Armamar, a primeira classificativa desta quinta-feira.
A fechar a lista dos cinco primeiros após a SS24, e quando restava apenas uma especial para disputar antes do final da 3ª Etapa, estavam Paulo Marques/João Martins (BMW 1600, de 1969) e Michel Decremer/Albert Yannick (Opel Ascona, de 1981).
Amanhã a caravana do Banco BIC Rally de Portugal Histórico regressa a Sul naquela que será a quarta e última Etapa da prova, com partida de Espinho e passagem por Vouzela, Leiria e Estoril, com Sintra a ser palco das últimas quatro classificativas do Rally do ACP.

O terceiro dia do Banco BIC Rally de Portugal Histórico levou pilotos e máquinas numa incursão por locais de rara beleza de Espinho a Lamego, passando depois por Amarante antes do regresso a Espinho para o fim da 3ª Etapa.

Depois de problemas ao final do dia de ontem, a dupla João Mexia/Nuno Machado (Porsche 911, de 1973) acabou por perder a liderança da prova do Automóvel Club de Portugal para os belgas Yves Deflandre/Joseph Lambert (Porsche 911, de 1972). Contudo, a formação lusa, vencedora das duas últimas edições da prova, levou a cabo um dia extremamente regular, recuperando terreno para terminar a 11,9 segundos da frente.

Uma recuperação que se fez com base em três vitórias em Especiais por parte da dupla lusa contra igual número dos belgas e que deixa bem claro que Mexia está com os olhos bem postos na terceira vitórias consecutiva no Rally, um objectivo que parece estar perfeitamente ao seu alcance.

Enquanto isso, no terceiro lugar surgem agora Paulo Marques/João Martins (BMW 1600, de 1969). Os portugueses beneficiaram do facto de Daniel Reuter/Robert Vandevorst (Porsche 914, de 1970) não terem efectuado a SS25 para ascenderem ao mais baixo do pódio, enquanto os belfas caíram muito na classificação.

A fechar a lista dos cinco primeiros do dia, estavam Michel Decremer/Albert Yannick (Opel Ascona, de 1981) e Charles "Chavan"/Patrick Lienne (Opel Ascona, de 1981).

Amanhã a caravana do Banco BIC Rally de Portugal Histórico regressa a Sul naquela que será a quarta e última Etapa da prova, com partida de Espinho e passagem por Vouzela, Leiria e Estoril, com Sintra a ser palco das últimas quatro classificativas do Rally do ACP.

8 de Out de 2015

 

Bookmark and Share

 

Patrocínios